Prezados(as) companheiros(as),

Prezados(as) companheiros(as),

Nós da StreetNet Brasil temos a honra de tornar pública nossa pesquisa realizada em 2011 nas cidades sede da Copa, sobre o impacto das obras de infraestrutura e de planos de "reurbanização" realizados em virtude do megaevento, na sobrevivência de vendedores e vendedoras informais.

Na última quinta-feira (5/4), a Agência Pública de jornalismo divulgou o material http://apublica.org/2012/04/copa-nao-e-para-pobre-os-ambulantes-zonas-de-exclusao-da-fifa/, que foi a primeira etapa da campanha Cidades para Todos e Todas no Brasil. Realizada entre 2006-2010 na África do Sul (World Class Cities for All Campaign), a campanha tem como objetivo provocar a conscientização da sociedade sobre o impacto devastador dos planos excludentes de reurbanização que ocorrem durante a preparação das cidades para a Copa, na produção diária da subsistência dos trabalhadores ambulantes.

A campanha tem como objetivo também provocar a mobilização e a organização da categoria, interconectá-la com parceiros políticos importantes e criar espaços de negociação política desses trabalhadores com o poder público.

A pesquisa consiste no mapeamento de organizações representativas de vendedores informais em 10 das 12 cidades sede e em um mergulho no universo do dia a dia da venda ambulante. Foi realizada entre Maio e Outubro de 2011 e buscou estabelecer uma aproximação com as organizações, além de conhecer o cenário legal, a percepção do impacto da Copa até o momento e as perspectivas para 2014.

Iniciamos assim a primeira iniciativa para tecer uma rede nacional de organizações representativas de ambulantes, com força e legitimidade para enfrentar as zonas de exclusão da FIFA e a violação do direito ao trabalho.

Contamos com vocês na divulgação do nosso trabalho, e nos desafios que nos esperam.

Em solidariedade,

—–
Maíra Villas Boas Vannuchi
11 9118 6558 / 21 8466 8586
StreetNet Brasil
Campanha Cidades para Todos e Todas